top of page

Escola em tempo integral- Realidade ou sonho?



O Ministério da Educação estabeleceu como meta a ampliação da oferta em 1 milhão de matrículas em tempo integral nas escolas de educação básica de todo o país, ainda em 2023. Até o ano de 2026, o objetivo é ampliar a oferta em cerca de 3,2 milhões de matrículas.


As novas matrículas criadas, ou convertidas para jornada integral, a partir de 2023, deverão ser registradas pelos entes federados no Censo Escolar, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).


Qual as vantagens de se ter uma educação integral:


A Educação Integral visa promover o desenvolvimento de todas as dimensões da personalidade dos estudantes, incluindo habilidades cognitivas, emocionais, sociais, físicas e éticas. Isso permite que os alunos cresçam de maneira mais completa e equilibrada.


Prepara os alunos não apenas para as demandas acadêmicas, mas também para os desafios da vida cotidiana. Eles adquirem habilidades sociais, pensamento crítico, resolução de problemas e tomada de decisões, que são essenciais para enfrentar os dilemas da vida adulta.


Busca formar cidadãos responsáveis, conscientes e participativos. Ao enfatizar valores como respeito, empatia, solidariedade e ética, os alunos são preparados para contribuir positivamente para suas comunidades e sociedade em geral.


A educação não deve ser fragmentada, isto é, os conteúdos escolares devem ser ensinados de modo que relações entre eles sejam estabelecidas, a interdisciplinaridade.


Para que isso ocorra, o contexto do estudante deve ser considerado, pois desse modo ele consegue compreender a importância da educação para o desenvolvimento do seu projeto de vida e a visão ampla sobre problemas complexos. Isso pode estimular a criatividade e a inovação, preparando os alunos para enfrentar os desafios do mundo contemporâneo, podem levar a melhorias no desempenho acadêmico porque os alunos se sentem mais motivados e engajados quando veem a relevância prática do que estão aprendendo.


Pode ajudar a reduzir as desigualdades sociais, oferecendo a todos os estudantes oportunidades iguais de acesso a uma educação de qualidade, independentemente de suas origens socioeconômicas ou culturais, promovendo o respeito e a compreensão entre diferentes grupos étnicos, religiosos e culturais.


De acordo com a BNCC, (Base Nacional Curricular Comum) os currículos escolares devem incorporar no seu processo de ensino alguns dos desafios da sociedade contemporânea. Ou seja, a escola não deve se limitar a promover o acúmulo de informações, mas desenvolver em seus alunos a habilidade de aprender a aprender. Desse modo, eles poderão ter responsabilidade e autonomia para tomar decisões e resolver problemas;


Inclui o cuidado com a saúde mental e emocional dos estudantes. Isso é crucial para criar um ambiente de aprendizado seguro e acolhedor, onde os alunos se sintam apoiados em suas questões pessoais.


O mundo contemporâneo é complexo e em constante mudança. A educação integral ajuda os alunos a desenvolverem habilidades de adaptação, aprendizado ao longo da vida e pensamento flexível, tornando-os mais preparados para lidar com a rápida evolução da sociedade e do mercado de trabalho.


A educação deve ser voltada para acolhimento e reconhecimento da singularidade de cada criança, adolescente ou jovem adulto.

Investir no futuro e formar indivíduos capazes de liderar, inovar, resolver problemas globais e contribuir positivamente para a construção de uma sociedade mais justa e sustentável, este é um objetivo a ser alcançado.

Acompanhe a educação de seu filho, que a escola não seja apenas um local que a criança ficará mais tempo, mas que tenha uma educação de qualidade.


Uma reflexão sobre a situação do DF:


... Por fim, precisaremos de professores. Só no ensino médio faltam 32 mil docentes com formação específica e 46 mil dão aula sem preparação, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU). Um levantamento do Todos pela Educação mostra que mais da metade dos professores do ensino fundamental não tem licenciatura na área. Será preciso formar os mestres para esse modelo menos academicista e mais audacioso e, ao mesmo tempo, atrair novos talentos.

Colocar o estudante para passar mais horas na sala de aula do jeito que está, só para tirá-lo das ruas, é fazer da escola um depósito de crianças. Sem espaços adequados, com um currículo defasado e professores em falta, será que essa medida pode mesmo ajudar uma criança a aprender mais do que aprende hoje?

Andrea Ramal


Teoria e prática devem andar juntos, a escola em tempo integral é um modelo maravilhoso! São muitos desafios a serem enfrentados: Quantidade e qualificação dos profissionais que atenderão aos alunos, espaço físico adequado, material necessário...

Acompanhem esta história!



bottom of page